Solenidade de posse da nova diretoria do Sindicato Rural de Uberlândia será dia 1º de fevereiro

O mandato do grupo liderado por Gustavo Galassi vigorará no triênio 2018 a 2021

 

A nova Diretoria e Conselho Fiscal do Sindicato Rural de Uberlândia tomará posse em evento solene no próximo dia 1º de fevereiro de 2018, às 19 horas, no auditório da entidade. O mandato dos novos diretores, liderados por Gustavo Galassi Gargalhone como presidente, vigorará no triênio 2018 a 2021. A assinatura oficial do termo de posse será feita antecipadamente em Assembleia Geral convocada para o dia 25 de janeiro às 17h00, na sede da entidade.

A chapa “Juntos Somos Mais Fortes”, encabeçada por Gustavo Galassi, foi a vencedora da eleição realizada no dia 21 de dezembro de 2017 com 235 votos, dos 435 associados que compareceram às urnas. A chapa concorrente recebeu 179 votos. Foram registrados também três votos em branco.

A Diretoria e Conselho Fiscal que assumirá a gestão do Sindicato Rural de Uberlândia a partir de 26 de janeiro de 2018 tem a seguinte composição:

 

DIRETORIA        

Gustavo Galassi Gargalhone      (Presidente)

Gilmar Goudard               (1º Vice Presidente)

Thiago Bianchi Silveira   (2º Vice Presidente)

Júlio César Pereira          (Tesoureiro)

Claudionor Nunes de Morais     (2º Tesoureiro)

Roger Crosara Mansour               (3º Tesoureiro)

João Carlos Semenzini  (Secretário)

Dagmar José dos Santos              (2º Secretário)

Sérgio Vieira Attie           (3º Secretário)

SUPLENTES DA DIRETORIA         

Maurício Jorge de Lima

Gilvan Sorna de Paula

Ayrton Teodoro

José Antônio Marquez Grama

Márcio Mendes Mendonça

Délcio Vieira Tannús Filho

Pedro Roberto de Oliveira

Matheus Giovanni Pereira Fernandes

Helen Martins Teixeira Rodrigues

CONSELHO FISCAL         

André Luiz Alves dos Santos

Leon Bernardo Knychala

Zorival Tavares Carneiro

SUPLENTES DO CONSELHO FISCAL         

Antônio José de Almeida

Antônio Ferreira de Brito

Fausto Elias Nascimento

Funrural e legislação ambiental serão tema de seminário no Sindicato Rural de Uberlândia

O Sindicato Rural de Uberlândia promoverá no próximo dia 30 de janeiro, a partir das 13h30, na sede da entidade, o seminário Aspectos Tributários do Funrural e Obrigações Legais Ambientais 2018. O evento contará com palestras do assessor jurídico da Faemg, Dr. Francisco Barbosa Simões, e do Superintendente Regional da SUPRAM, José Vitor Resende.

O encontro terá entrada franca e será destinado a produtores rurais e demais interessados em conhecer os novos aspectos tributários do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) e a Deliberação Normativa COPAM nº 217/ 17 que estabelece critérios para o licenciamento ambiental em Minas Gerais a partir deste ano.

Serviço:

Seminário Aspectos Tributários do Funrural | Obrigações Legais Ambientais 2018

Data: 30 de janeiro de 2018 – terça-feira

Horário: 13h30 às 17h00

Local: auditório do Sindicato Rural de Uberlândia – Av. Juracy Junqueira Rezende, 100 – Parque Camaru

Programação:

13h30 – recepção

14h00 – palestra José Vitor Resende – Tema: obrigações legais ambientais 2018

15h30 – palestra Dr. Francisco Simões – Tema: Aspectos Tributários do Funrural

Informações: (34) 3292 8811

Entrada franca | vagas limitadas

Presidente da Faemg cumprimenta diretoria eleita no Sindicato Rural de Uberlândia

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais, Roberto Simões, cumprimentou a nova diretoria do Sindicato Rural de Uberlândia pela eleição para o triênio 2018-2021. Em nome do Sistema Faemg o presidente Roberto Simões parabenizou o presidente eleito do Sindicato Rural de Uberlândia, Gustavo Galassi, com a seguinte mensagem:

“Cumprimento, em nome do Sistema FAEMG, a nova diretoria do Sindicato dos Produtores Rurais de Uberlândia, liderada pelo companheiro Gustavo Galassi e integrada por autênticos representantes da nossa classe rural, que honrarão o legado das administrações anteriores. A tarefa de uma gestão competente no Sindicato de Uberlândia é fundamental para o êxito do nosso sistema, pois reúne produtores valorosos que fizeram a região destacar nacionalmente pelo elevado volume da produção, pela diversificação e pelo uso da inovação e tecnologia. A todos, diretoria e associados, os meus votos de sucesso.”

Roberto Simões – Presidente do Sistema FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais)

Gustavo Galassi assumirá a gestão da entidade no próximo dia 26 de janeiro.

O presidente eleito no Sindicato Rural de Uberlândia para o triênio 2018-2021, Gustavo Galassi, é formado em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia, com MBA em Gestão Estratégica e Marketing, atua no setor agropecuário há 30 anos onde desenvolve atividades de suinocultura, avicultura e equinocultura

Associação dos Cavaleiros do Camaru elege novo presidente

Chapa encabeçada por Reginaldo da Silva Ferreira forma o grupo que administrará a entidade até 2019; na foto aparecem também associados e diretores do Sindicato Rural

A eleição da nova diretoria da Associação dos Cavaleiros do Camaru (ACC) aconteceu na última quarta-feira (27/12) no auditório do Sindicato Rural de Uberlândia. A assembleia iniciada em segunda chamada às 19h30 elegeu Reginaldo da Silva Ferreira como presidente para o biênio 2018-2019.  A entidade foi criada 2005 com a finalidade de reunir cavaleiros e amazonas, através da promoção de eventos equestres funciona dentro do parque Camaru.

Reginaldo Ferreira, que já esteve à frente da entidade por dois mandatos no passado, promete trabalhar por todas as modalidades equestres praticadas no parque. “Nossa prioridade é a obra de drenagem da pista de areia e restabelecer nosso campeonato de Team Penning”, afirmou. Sobre o envolvimento da ACC com as demais modalidades Ferreira garante que defenderá os interesses de todos os associados. “A ACC estará em Cavalgadas e também em provas de Ranch Sorting e Três Tambores”, afirmou. “O que pretendemos fazer é unir o público do cavalo”, disse. Ferreira anunciou ainda a realização da segunda edição do Tambor Solidário – prova beneficente de Três Tambores que arrecada recursos para entidades assistenciais – que acontecerá em 2018.

O presidente eleito do Sindicato Rural de Uberlândia, Gustavo Galassi, apoiou a eleição de Reginaldo Ferreira e lembrou, durante a assembleia, que o Sindicato Rural sempre fez tudo que foi possível pela ACC. “A partir de agora faremos esforços conjuntos para continuar atendendo as necessidades da associação”, afirmou. Galassi ofereceu a oportunidade para a ACC participar da Femec 2018. “Se for do interesse da associação vocês poderão organizar o Feirão Cavalo e Cia que acontece na feira”, disse. Galassi revelou também que o presidente eleito da ACC representará a entidade nas comissões que serão criadas na nova diretoria do Sindicato Rural a partir do próximo ano.

Ao se associar à ACC, o praticante de atividades equestres tem à disposição a estrutura do parque Camaru com instalações adequadas para a modalidade, além de descontos nas inscrições de provas realizadas pela entidade. A associação também apoia a organização de eventos na região de Uberlândia.

Atualmente a ACC conta com cerca de 100 associados. Para se tornar sócio, interessados podem entrar em conato com a ACC pelo TEL: 34 3014-5717 / 34 9 9775-0077.

Diretoria ACC Biênio 2018-2019

Presidente: Reginaldo da Silva Ferreira

Vice-presidente: Adelmo Divino de Faria

Tesoureiro: Marlos Ferreira Alves

Secretário: Arthur Resende Oliveira

Diretor: Malk Mauad Ydy

Conselho Fiscal

Conselheiro: Décio Somões Gonzaga Junior

Conselheiro: Almiro Rosa

Gustavo Galassi é eleito presidente do Sindicato Rural de Uberlândia

Participação expressiva de associados registrou 435 votos; Diretoria e Conselho Fiscal eleitos assumirão a gestão da entidade em 27 de janeiro de 2018

Com 253 votos, a chapa “Juntos Somos Mais Fortes”, encabeçada por Gustavo Galassi, foi a vencedora da eleição para Diretoria e Conselho Fiscal realizada nesta quinta-feira (21/12) no Sindicato Rural de Uberlândia. De 555 associados habilitados pela comissão eleitoral para votar, compareceram às urnas 435. A chapa “De Produtor Pra Produtor”, encabeçada por Paulo Roberto Cunha, recebeu 179 votos. O grupo eleito assumirá a gestão da entidade em 26 de janeiro de 2018 e ocupará os cargos no triênio 2018-2021. A solenidade oficial de posse da nova diretoria ainda será marcada.

O presidente eleito Gustavo Galassi comemorou a vitória ao lado de integrantes da chapa, amigos e familiares e agradeceu o voto dos produtores rurais associados. “Foi uma disputa acirrada que envolveu a cidade toda e graças a Deus nosso associado entendeu o recado e nossas propostas. A partir de 2018 estaremos de portas abertas fazendo uma gestão moderna e inovadora”, disse Galassi.

 

O presidente do Sindicato Rural, Thiago Soares Fonseca, parabenizou as chapas pelo trabalho de campanha e avaliou a vitoria de Gustavo Galassi. “Este é um sinal que o produtor aprova essa gestão que foi vencedora em uma eleição muito disputada. Estamos felizes ao sair da entidade e entregá-la para um companheiro que há mais de 20 anos está junto conosco no Sindicato Rural”, afirmou.

 

O prefeito Odelmo Leão, que é associado ao Sindicato Rural, também compareceu para votar. “Votei em Gustavo Galassi junto com a sua diretoria porque tenho a certeza que ele fará um grande trabalho pelos produtores rurais de Uberlândia”, disse.

 

O pleito foi conduzido por mesa eleitoral presidida pelo advogado Dr. Egmar Sousa Ferraz e teve como primeiro e segundo mesários, Dr. Adauto Alves Fonseca e Dra. Fernanda Dayrel Souza Duarte de Coelho Martins, respectivamente e como suplente Dr. Luciano de Salles Monteiro. Para Egmar Ferraz, os associados deram um grande exemplo de democracia em um processo que transcorreu sem nenhum incidente com respeito entre as chapas. “Isso mostra porque o Sindicato Rural é uma das instituições mais fortes que nos temos na cidade de Uberlândia”, disse.

 

A Diretoria e Conselho Fiscal que assumirá a gestão do Sindicato Rural de Uberlândia tem a seguinte composição:

DIRETORIA

Gustavo Galassi Gargalhone      (Presidente)

Gilmar Goudard               (1º Vice Presidente)

Thiago Bianchi Silveira   (2º Vice Presidente)

Júlio César Pereira          (Tesoureiro)

Claudionor Nunes de Morais     (2º Tesoureiro)

Roger Crosara Mansour               (3º Tesoureiro)

João Carlos Semenzini  (Secretário)

Dagmar José dos Santos              (2º Secretário)

Sérgio Vieira Attie           (3º Secretário)

SUPLENTES DA DIRETORIA

Maurício Jorge de Lima

Gilvan Sorna de Paula

Ayrton Teodoro

José Antônio Marquez Grama

Márcio Mendes Mendonça

Délcio Vieira Tannús Filho

Pedro Roberto de Oliveira

Matheus Giovanni Pereira Fernandes

Helen Martins Teixeira Rodrigues

CONSELHO FISCAL

André Luiz Alves dos Santos

Leon Bernardo Knychala

Zorival Tavares Carneiro

SUPLENTES DO CONSELHO FISCAL

Antônio José de Almeida

Antônio Ferreira de Brito

Fausto Elias Nascimento

Reforma moderniza legislação trabalhista para o setor produtivo rural

Mudanças flexibilizam modalidades de contratação e dão mais poder para a negociação entre as partes, avalia assessora jurídica da FAEMG que fará palestra em Uberlândia nesta terça-feira

A Lei nº 13.467, que entrou em vigor no último dia 11 de novembro, provocou alterações que modernizam a legislação trabalhista para o setor produtivo rural. Entre as mais de cem novidades introduzidas à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) destacam-se a flexibilidade nas modalidades de contratação e o maior poder para a negociação entre sindicatos patronais e laborais ou entre empresa e sindicato dos trabalhadores, segundo a advogada Dra. Mariana Maia Ehrenberger, consultora jurídica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG).

Para esclarecer estas e outras questões sobre a Reforma, o Sindicato Rural de Uberlândia e a FAEMG receberão produtores rurais nesta terça-feira (14/11), às 18 horas, para a palestra “Reforma Trabalhista – Impactos na vida do produtor rural”. O evento será no auditório do Sindicato Rural, no Parque Camaru, com entrada franca. Na avaliação Mariana Ehrenberger, que apresentará o tema em Uberlândia, a Reforma estabelece o que é chamado de ‘acordado sobre o legislado’. “Em outras palavras, significa dizer que a negociação via convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho terá preponderância e eficácia sobre a legislação vigente”, afirma. Segundo ela, há várias outras alterações que atingem o meio rural como, por exemplo, a repartição das férias em três períodos, o padrão de vestimenta no ambiente laboral, trabalho em regime parcial, contratação de autônomo, dentre outros aspectos que serão abordados na palestra.

Na opinião do presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, Thiago Fonseca, a iniciativa é uma oportunidade para produtores rurais, contabilistas e advogados tirarem dúvidas sobre a nova lei. “Recebemos com bons olhos esta novidade e acreditamos que seu o principal aspecto é a flexibilização para contratações, o que não veio para favorecer o produtor rural, nem o trabalhador. A partir de agora devemos atuar dentro da nova legislação”, disse.

Para participar da palestra não é necessário fazer inscrição prévia. O Sindicato Rural de Uberlândia fica no Parque de Exposições Camaru, na Avenida Juracy Junqueira Rezende, nº 100, bairro Pampulha. Informações podem ser obtidas pelo telefone 34 3292 8809.

 

Reforma Trabalhista será tema de palestra gratuita no Sindicato Rural de Uberlândia

Produtores e contabilistas serão público alvo da apresentação; assessora jurídica da FAEMG mostrará como a mudança vai impactar a vida de quem contrata mão de obra para trabalhar em propriedades rurais

O Sindicato Rural de Uberlândia e a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG) realizarão na próxima terça-feira (14/11), às 18 horas, a palestra “Reforma Trabalhista – Impactos na vida do produtor rural”. O conteúdo será apresentado pela advogada da Assessoria Jurídica da FAEMG, Dra. Mariana Maia Ehrenberger, especialista em Direito do Trabalho. O evento será no auditório do Sindicato Rural, no Parque Camaru com entrada franca.

A advogada mostrará em linguagem simples como as modificações na CLT, introduzidas pela Lei nº 13.467, decorrentes da recente Reforma Trabalhista, vão impactar a vida de quem contrata mão de obra para trabalhar em propriedades rurais.

A oportunidade valerá para produtores rurais, contabilistas e demais interessados tirarem dúvidas sobre a nova lei, que traz mais de 100 novidades à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e passa a valer a partir de 11 de novembro. O ponto principal, segundo especialistas, é a prevalência do “acordado sobre o legislado”, que em outros termos significa que a negociação entre patrões e empregados passará a valer mais do que a lei em situações específicas.

IFTM Campus Uberlândia lança curso técnico em aquicultura

Programa tem como público alvo produtores rurais de Uberlândia e região

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro – IFTM – Campus Uberlândia divulga seu novo curso Técnico em Aquicultura que tem como público alvo os produtores rurais de Uberlândia e Região. O objetivo do programa é oferecer formação técnica e profissional na área de aquicultura que capacite o discente a elaborar, desenvolver e monitorar projetos aquícolas, manejar sistemas de produção e gerenciar empreendimentos na área específica.

Aquicultura é a ciência que estuda técnicas de cultivo e reprodução de peixes, camarões, algas, rãs e outros organismos que vivem em ambientes aquáticos. O curso visa formar profissionais qualificados capazes de atuar ativamente nos processos evolutivos do mercado de produtos aquícolas sendo capazes de respeitar o meio ambiente e atuar na segurança alimentar, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da atividade. Além da formação técnica, o curso contribui para a formação humanística, desenvolvendo no discente a consciência crítica e um espírito ético, pró-ativo e participativo na sociedade em que vive.

Os interessados deverão se inscrever pelo site do IFTM – www.iftm.edu.br/ingresso até o dia 09/11/2017.

G7 recebe Jair Bolsonaro para debate em Uberlândia

Grupo pretende conhecer propostas dos futuros candidatos à Presidência da República

As entidades que compõem o G7 em Uberlândia receberam o deputado federal Jair Bolsonaro na tarde desta quinta-feira (19/10), no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), para debate sobre o tema “Brasil – O Desafio para as próximas Gerações”. Cerca de 500 pessoas acompanharam a discussão. O evento fez parte da iniciativa do grupo que pretende conhecer as propostas dos eventuais candidatos à Presidência da República em 2018.

O Sindicato Rural de Uberlândia, como membro do G7, foi representado no evento por seu presidente Thiago Fonseca. A questão relativa a invasões de terras levantada por Fonseca foi contextualizada com o argumento de que órgãos do governo dificultam o cumprimento de mandatos de reintegração. Questionado sobre o que poderia ser feito pelo poder público para acelerar o cumprimento de mandatos e garantir o direito à propriedade, Bolsonaro se levantou para afirmar que o direito à propriedade privada é sagrado. “Todo fazendeiro deveria ter o direito de reagir na tentativa de uma invasão, no entanto para isso é preciso que se mude a legislação”, afirmou.

Bolsonaro que é cotado como postulante ao cargo máximo da nação, ainda foi questionado por representantes da Fiemg, ACIUB, CDL, OAB, Conselho de Veneráveis e Sociedade Médica. Cada entidade teve direito a formular até duas perguntas ao parlamentar que permaneceu no auditório por cerca de 4 horas. O político respondeu também a questões feitas pela plateia tirou fotos com fãs e atendeu a imprensa.

Movimento em favor da cadeia produtiva do leite ganha força em Minas Gerais

Evento organizado por sindicatos rurais e Fecoagro Leite Minas promoveu encontro do Ministro da Agricultura Blairo Maggi com mais de mil produtores de leite

O primeiro manifesto nacional para fortalecimento da cadeia produtiva do leite aconteceu na última segunda-feira (16/10), no município de Prata-MG, com a presença do Ministro da Agricultura Blairo Maggi. O Manifesto SOS Leite, organizado por sindicatos rurais, em conjunto com a Federação de Cooperativas Agropecuárias de Leite em Minas Gerais (Fecoagro Leite Minas), teve participação de mais de mil produtores de leite, além de lideranças políticas do Estado e representantes de entidades ligadas à pecuária leiteira, como cooperativas e associações de criadores de bovinos.

Vicente Nogueira, coordenador da câmara de leite da OCB, apresentou ao Ministro da Agricultura principais pleitos dos produtores de leite

Entre os pleitos apresentados pelos produtores no evento estão pedidos para utilização de produtos lácteos nacionais nas compras governamentais e desoneração da cadeia. No manifesto apresentado pelo coordenador da câmara de leite da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Vicente Nogueira, os produtores de leite e suas cooperativas dizem não às importações desleais e predatórias (formalização de acordo com o Uruguai), não às fraudes e não à reidratação de leite em pó para fabricação de leite fluido para consumo direto. “O Ministro teve hoje uma demonstração de quanto os produtores de leite, sindicatos e cooperativas estão mobilizados na defesa da sobrevivência. Estamos preparados para fazer a maior manifestação em Brasília levando milhares de produtores de leite e entregar esse pleito ao presidente da república”, revelou Nogueira.

Entre as questões levantadas pelos produtores no evento está a balança comercial entre Brasil e Uruguai cujo saldo em 2016 foi favorável ao Uruguai em US$418 milhões, sendo que 36% referem-se aos produtos lácteos. Nesse período, o Brasil foi o destino de 86% do leite em pó desnatado e 72% do leite em pó integral exportado pelo Uruguai. Na avaliação do presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, Thiago Fonseca, além da divergência na tributação do produto nos dois países, deve-se considerar ainda a diferença no modelo de produção. “É difícil comparar custos de produção de um produtor com outro, principalmente entre países. Eles têm um custo de produção completamente diferente do nosso e o preço que estão praticando em seu produto é abaixo do nosso custo de produção; isso é dumping”, avalia. Fonseca alerta ainda para o risco de triangulação de leite entre países. “Há suspeitas ainda não confirmadas de que alguns países aproveitam do livre comércio que há no Mercosul para vender seu produto no Brasil, sem tributação, via Uruguai”, afirmou. O Sindicato Rural de Uberlândia mobilizou associados e diretores para participar do encontro. A entidade disponibilizou canais de comunicação para divulgar o evento e disponibilizou um ônibus para transporte de cerca de 30 produtores. Na visão do presidente Thiago Fonseca mobilizar a classe para participar de iniciativas desta natureza é de extrema importância para o segmento. “Esta iniciativa, juntamente com várias ações que estão sendo planejadas para fortalecer os produtores de leite são uma a resposta que damos para os associados”, afirmou Fonseca.

Thiago Fonseca, Sindicato Rural de Uberlândia; Eduardo Pena, Faemg e Ebinho Bernardes, Núcleo dos Sindicato Rurais do Triângulo representaram produtores mineiros no evento SOS Leite no município de Prata

Representando o Sistema FAEMG, o presidente da Comissão Técnica de Pecuária de Leite da entidade, Eduardo Pena, reafirmou o compromisso da entidade com a causa dos produtores de leite. “Empenhamos nosso apoio ao Ministério da Agricultura e às medidas adotadas para minimizar os impactos da crise da no setor da pecuária leiteira”, disse. Eduardo Pena também disse que as medidas tomadas pelo governo já começam a repercutir, principalmente na relação do setor com as indústrias.

Em coletiva de imprensa o Ministro Blairo Maggi admitiu que o Brasil pode voltar a comprar leite do Uruguai. “Não é um medida definitiva até porque se eles recorrerem a qualquer órgão internacional como a OMC eles tem direito de vender o leite para o Brasil”, disse. Maggi prometeu, no entanto, que enviará uma comitiva ao país vizinho para averiguar se há indicações de triangulação.

Blairo Maggi ouviu reivindicações de produtores de leite que buscam a sobrevivência na atividade

Segundo o Ministro a solução para a crise no setor também passa pelo aquecimento da economia brasileira. “As pessoas comem e bebem aquilo que desejam na medida em que tenham recursos para isso. Não é necessário incentivo para as pessoas comerem; é preciso ter renda. A economia começa a voltar e quando os empregos voltarem tenho certeza que tudo isso será resolvido, porque dinheiro na mão das pessoas a primeira coisa que vira é uma alimentação melhor”, afirmou.

Ao final do evento, representantes de entidades ligadas ao setor e produtores de leite fecharam a BR 153 com manifestação pacífica acompanhada pela Polícia Rodoviária Federal onde distribuíram mais de três mil litros de leite para motoristas.

Produtores fecharam a BR 153 com manifestação pacífica onde distribuíram mais de três mil litros de leite