Sindicato Rural apresenta atrações da 54ª Exposição Agropecuária de Uberlândia

Camaru 2017 será de 30 de agosto a 10 de setembro com ampla programação técnica e entretenimento; tradicional cavalgada anunciará atrações da feira no dia 27 de agosto em trajeto feito por milhares de cavaleiros pelas ruas da cidade

A programação da 54ª Exposição Agropecuária de Uberlândia foi confirmada esta semana pelo Sindicato Rural de Uberlândia. O Camaru 2017 acontecerá de 30 de agosto a 10 de setembro, com patrocínio da Codemig, no Parque de Exposições Camaru, com exposições especializadas de gado de corte e de leite, cavalo Mangalarga Marchador, Torneio Leiteiro, palestras, leilões, rodeio, Fazenda Escola e shows com os artistas mais tocados do cenário musical brasileiro. A cavalgada que anuncia as atrações do evento acontecerá no domingo dia 27 de agosto, a partir das 11 horas, com saída de cavaleiros da Avenida Rondon Pacheco, ao lado do estádio Airton Borges.

Em sua área de exposição, a feira agropecuária reúne dezenas de empresas de segmentos da indústria, comércio e serviços. Organizações do setor agropecuário, de tecnologia, automobilístico, construção civil e moda, entre outros, aproveitam a intensa circulação de consumidores no parque para fazerem lançamentos e demonstração de produtos. O Camaru terá ainda atrações culturais com música regional, parque de diversões e praça de alimentação. O evento é considerado um dos maiores acontecimentos da cidade e espera receber este ano mais de 400 mil visitantes em dez dias.

Conheça a programação da 54ª Exposição Agropecuária de Uberlândia:

Programação técnica

Cavalgada Camaru: 27 de agosto

Torneio Leiteiro: 04 a 07 de setembro

Exposição ranqueada e julgamento da raça Nelore: 07 a 09 de setembro

Exposição e julgamento de gado de leite das raças Gir Leiteiro e Girolando: 04 a 09 de setembro

XVIII Exposição do Cavalo Mangalarga Marchador de Uberlândia: 30 de agosto a 03 de setembro

Exposição da raça Simental: 30 de agosto a 10 de setembro

Exposição Nacional da raça Senepol: 30 de agosto a 10 de setembro

Programação Senepol

01/09 – Visitação Fazenda Canãa

02/09 – Dia de campo e leilão Fazenda Canãa

04/09 – Curso de reciclagem dos técnicos inspetores ABCB Senepol – Auditório / degustação carne Senepol

05/09 – Seminário Técnico Internacional – Senepol do Pasto ao Prato – Auditório / Happy hour e apresentação de animais Senepol Nova Vida

06/09 – Seminário Técnico Internacional – Senepol do Pasto ao Prato / Leilão Nova Vida – Tatersal de Elite

03, 07, 08 e 09/09 – Degustação carne Senepol

Olhar Senepol com ADEVIUDI – Associação dos Deficientes Visuais de Uberlândia e APAE

Encontro das Mulheres do Senepol

3ª Prova da Independência 3 Tambores: 07 de setembro

Rodeio Profissional: 04 a 07 de setembro

Fazenda Escola Camaru: 30 de agosto a 10 de setembro

Leilões de Elite:

02/09 – 12 horas – 6º Leilão Nelore UFU (só touros selecionados)

03/09 – 13 horas – 13º Leilão Cavalos do Brasil e Haras Capim Velho

06/09 – 20 horas – Leilão Nova Vida Senepol

07/09 – 13 horas – 17º Leilão ACNTM/Nelore VC (transmissão pelo Canal do Boi)

 

Programação de Shows:

30/08 Wesley Safadão / Jefferson Moraes

31/08 aniversário de Uberlândia

01/09 Henrique & Juliano / Kleo Dibah & Rafael

02/09 Gusttavo Lima / Bárbara Labres

03/09 projeto cultural/portões abertos

04/09 Rodeio Profissional

05/09 Rodeio Profissional

06/09 Rodeio Profissional / Jads & Jadson / Amado Batista / Lucas Reis & Thacio

07/09 Rodeio Profissional /projeto cultural/portões abertos

08/09 Luan Santana/ Pedro Paulo e Alex / DJ Dennis

09/09 Simone & Simaria / Bruno & Marrone / George Henrique & Rodrigo

Audiência pública busca avanços para análise de 6,8 mil pedidos de outorga acumulados na Supram

Uma audiência pública reuniu ontem (29), no auditório do Sindicato Rural de Uberlândia, cerca de duzentas pessoas entre produtores rurais, consultores e representantes de entidades ligadas ao meio ambiente. O encontro teve como objetivo buscar avanços nas análises de mais de 6,8 mil pedidos de outorgas de uso de água e 630 processos de licenciamento ambiental que se encontram acumulados na Superintendência Regional do Meio Ambiente (Supram) desde 2011. O evento proposto pela Câmara de Vereadores contou com a participação do superintendente da Supram, José Vitor de Resende Aguiar. Os participantes da reunião apresentaram propostas para que a regularização de empreendimentos rurais seja mais ágil na região.

José Vítor Aguiar apresentou dados que demonstram avanço relativo no andamento de processos no primeiro semestre deste ano. No entanto, é crítica a situação no órgão que tem sob jurisdição 67 municípios do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Aguiar alega falta de pessoal e de estrutura para atendimento das demandas. “Contamos com dois servidores para análise de outorgas que são feitas manualmente, já que nosso sistema de informática é deficitário. O número ideal para zerarmos essa fila de processos em um ano, seria de 35 profissionais”, disse. Uma medida que poderia amenizar o problema instalado na Supram seria a municipalização de parte dos serviços. “Somente a cidade de Uberlândia é responsável por 13 por cento dos processos de licenciamento que chegam ao nosso escritório. Se o Município entender que pode colaborar com o processo absorvendo esta demanda, a situação pode ser amenizada”, afirmou. O superintendente informou também que a emissão online de autorizações para uso de água na categoria consumo insignificante, de até um litro por segundo, também reduz as filas que se formam no órgão.

Ainda de acordo com Aguiar, uma alternativa para as outorgas, além da informatização que já está em andamento, seria a cooperação técnica entre municípios e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente SEMAD, através da Supram, que poderiam ceder temporariamente servidores efetivos ou em cargos comissionados para analisar essas outorgas.

Com relação a autuações por irregularidades a produtores rurais que aguardam análises de seus pedidos de outorgas de uso de água, o presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, Thiago Fonseca, defende que as normas sejam revistas. “Quando superado o prazo de 90 dias para análise dos pedidos, defendemos que os produtores tenham o direito de uso da água sem serem multados, como ocorre atualmente”, disse o presidente. “Se é por força de lei que as multas são aplicadas, então que nossos deputados mineiros proponham alteração na legislação”, disse. “O que não é justo, é os produtores rurais serem prejudicados por questões que fogem à sua responsabilidade”, concluiu Thiago Fonseca.

A partir da audiência pública, uma carta de reivindicações será elaborada e encaminhada ao poder público pedindo a elaboração de projeto de lei que preveja a questão apontada pelo presidente do Sindicato Rural. Além disso, o documento reunirá solicitações para informatização do sistema de análise de outorgas e recebimento de documentos, contratação de servidores e flexibilização dos termos de cooperação técnica entre a SEMAD e entidades de classe que possam ceder profissionais para trabalhar na Supram.

Audiência Pública discutirá regularização ambiental de empreendimentos rurais

Os problemas enfrentados por produtores rurais para regularização ambiental e obtenção de outorgas para uso de recursos hídricos serão debatidos a próxima quinta-feira, dia 29, às 16 horas, na audiência pública “Regularização Ambiental de Empreendimentos Rurais: Licenciamento e Outorga”. A iniciativa da Câmara Municipal de Uberlândia acontecerá no auditório do Sindicato Rural de Uberlândia e contará com participação do superintendente da SUPRAM Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, José Vitor de Resende Aguiar.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, Thiago Fonseca, o objetivo da entidade ao sediar esta audiência pública é promover um ambiente onde associados possam debater o tema diretamente com o dirigente da SUPRAM. “A partir deste encontro um documento será elaborado para ser encaminhado ao Governo de Minas no intuito de melhorar a estrutura da Supram em Uberlândia”, disse.

O órgão instalado em Uberlândia possui jurisdição sobre 67 municípios. O objetivo da reunião é encontrar soluções para agilizar os mais de 6 mil processos de outorga de água e 630 de licenciamento ambiental de empreendimentos de médio e grande porte, e de maior potencial poluidor, que encontram-se acumulados na SUPRAM desde 2011.

Serviço:

Evento: Audiência Pública – “Regularização Ambiental de Empreendimentos Rurais: Licenciamento e Outorga”

Data: Quinta-feira, dia 29 de junho, 16 horas

Local: Sede do Sindicato Rural de Uberlândia – Parque de Exposições Camaru – Av Juracy Junqueira Rezende 100 – Bairro Pampulha

 

 

Interleite Brasil chega na 17ª edição com o tema “Leite em Transformação”

O Simpósio que mais inova em conceito, quando se fala de leite, ocorrerá novamente em Uberlândia/MG, nos dias 2 e 3 de agosto em Uberlândia/MG.
O formato inovador, que surpreendeu o público no ano passado, se repetirá em 2017 e terá um foco único e exclusivo, concentrado no tema “Leite em Transformação”.

O destaque fica por conta dos casos de sucesso cujos produtores são os protagonistas, seguidos por um técnico especialista. É o único evento no país com esta abordagem, mostrando, na prática, o que há de melhor no setor produtivo brasileiro.

A programação contará com sete painéis temáticos de produtores com três palestrantes em cada um deles. Os temas serão os seguintes:

  • Por que investir no leite?;
  • Começando do zero: desafios, aprendizados e expectativas;
  • Produção de leite, mercado e rentabilidade: vamos aos números;
  • Inovação e futuro;
  • Tecnologia aplicada;
  • Conforto, reprodução e sanidade;
  • Produtores em destaque: gestão para resultados consistentes.

 Assim como nos anos anteriores, o Interleite Brasil 2017 agregará alguns eventos paralelos como o Fórum MilkPoint Mercado 2017 (01 de agosto), o Jantar Top 100 MilkPoint (01 de agosto) e o Prêmio Vidal Pedroso de Faria (Prêmio MilkPoint Impacto renomeado – 02 de agosto, durante o Interleite).

Fórum MilkPoint Mercado

MilkPoint Mercado vem se consolidando como o mais completo serviço de inteligência para o mercado lácteo brasileiro, com um número crescente de assinantes que usam as informações nas decisões diárias dos negócios.

Dentro do escopo de conteúdo, realizará, pelo 6º ano consecutivo, o Fórum MilkPoint Mercado, trazendo para o setor uma grande oportunidade de discussões, em alto nível, com grandes especialistas de mercado, em um evento voltado às principais lideranças do setor lácteo brasileiro. O Fórum antecede o Interleite e acontece no dia 01 de agosto em Uberlândia/MG.

Confira a programação completa dos eventos por meio dos respectivos links:

Interleite Brasil: www.interleite.com.br

Fórum MilkPoint Mercado: http://www.interleite.com.br/forum

Para quaisquer informações ou dúvidas sobre o evento envie um e-mail para eventos@agripoint.com.br ou ligue para (19) 3432-2199

Femec promove ação em prol da AACD

A Femec este ano promoveu uma ação solidária com a realização de uma prova de Três Tambores organizada pela Associação dos Cavaleiros do Camaru (ACC) com renda revertida para a AACD. O cheque no valor de R$ 4.300,00 arrecadados com as inscrições da prova foi entregue aos representantes da entidade na presença de diretores do Sindicato Rural e ACC. O gestor da AACD, Marco Aurélio Arantes, contou que a principal fonte de renda da instituição é o SUS, porém o valor não é suficiente para cobrir as despesas dos 270 atendimentos diários que oferecem para pacientes de 48 cidades. “O restante vem de ações como o Tambor Solidário. Essa iniciativa, independente do valor, é muito bem vinda, pois é o somatório que faz dar mais sobrevida a AACD”, disse.

Edgard Floriz, presidente da ACC, revelou que esta ação é só o começo de um projeto que continuará nos próximos anos. “Sempre quisemos fazer um evento beneficente, toda instituição tem sua parte de ajudar e vamos continuar”, afirmou.

Durante a entrega, Gustavo Galassi afirmou que o papel do Sindicato Rural, entidade da qual é vice-presidente, é apoiar e incentivar entidades parceiras coma a ACC dando suporte e estrutura para que os eventos aconteçam. “Tudo que o Sindicato puder fazer para ser solidário, durante nossa gestão, vamos fazer”, disse.

 

Parque Camaru recebe benfeitorias

A atual gestão do Sindicato Rural de Uberlândia mantém o Parque de Exposições Camaru permanentemente em condições para ser utilizados por seus associados. Só no primeiro semestre deste ano foram investidos mais de R$ 430 mil em benfeitorias no local.

Tatersal de leilões

Os recintos de leilões do Camaru foram reformados recentemente para oferecer mais conforto ao associado. Investimentos em melhoria de estrutura foram feitos nos dois espaços, tanto no Convencional como no de Elite, com a construção de novos sanitários acessíveis e reforma dos já existentes. No de Elite houve ainda reestruturação da cozinha, área do bar, e ganhou espaço com exaustor para instalação de churrasqueira. Aproximadamente R$ 260 mil foram aplicados nas obras. Os ambientes foram ampliados oferecendo acessibilidade e melhores acabamentos com pintura nova.

Cabine de força

Para aumentar a segurança nas operações ligadas à distribuição e economia de energia nas atividades desenvolvidas dentro do parque Camaru, o Sindicato Rural instalou uma subestação de proteção e medição de força no local para atender exigências da Cemig. A estrutura custou cerca de R$ 100 mil e possibilitará o coNtrole de entrada da energia elétrica no parque permitindo negociação de demanda diferenciada para cada evento realizado no recinto. O intuito é reduzir as despesas com energia elétrica.

Pista da areia

A pista destinada às atividades equestres no parque também recebeu investimentos. Para evitar o acúmulo de água de chuva em seu interior, foram construídas guias elevadas ao longo da área, além de sistema de escoamento pluvial. O acesso de caminhões para transporte de animais e máquinas próximo ao local também foi facilitado com a ampliação e pavimentação da área de manobra. O investimento feito nestes setores foi de cerca de R$70 mil.

 

 

 

 

Funrural – Contribuição Previdenciária incidente sobre a comercialização rural

O Supremo Tribunal Federal – STF concluiu o julgamento do Recurso Especial nº 718.874. Por maioria, o STF decidiu pela constitucionalidade da Contribuição Previdenciária Incidente sobre a Comercialização Rural, denominada “Funrural”, após a alteração de redação do art. 25 da Lei 8.212/91, instituída pela Lei 10.256/01, com a vigência da Emenda Constitucional nº 20/98.

No ano de 2010, o Supremo, por unanimidade de votos, havia reconhecido a inconstitucionalidade da norma, no Recurso Especial 363.852, do Frigorífico Mataboi. Repetidas vezes, o mesmo STF confirmou a inconstitucionalidade em outros recursos. Em razão destas decisões, os outros tribunais também pacificaram os julgados acerca da inconstitucionalidade. Entretanto, agora, com o julgamento do REsp nº 718.874, o Supremo decide de forma absolutamente contrária, implantando insegurança jurídica quanto à matéria e junto ao setor rural, especialmente pelos reflexos financeiros e desdobramentos processuais que podem implicar nos muitos processos que tramitam com tal objeto.

Apesar de julgado o recurso, o acórdão (até a data da divulgação deste artigo) ainda não foi publicado, o que é indispensável para a avaliação dos rumos recursais e as teses que ainda podem ser levantadas. Após a publicação do acórdão, poderão ser interpostos Embargos Declaratórios, visando ao aclareamento e alcance da matéria (se será retroativa ou não a decisão, pode exemplo), podendo, até mesmo, aplicar efeito modificativo ao julgado, se obedecidos os requisitos legais.

Cabe também ao Governo Federal criar alternativas aos produtores rurais, dando tratamento especial a tal questão, visando à diminuição da insegurança jurídica gerada por tal julgamento, bem como o não comprometimento de seus patrimônios e rendas. É, no mínimo, o que aguardamos.

Quanto às ações, orientamos os produtores para que não façam nada de imediato, sem antes obterem orientações jurídicas para cada caso específico. Cada situação particular tem que ser tratada com atenção e merece um tratamento diferenciado.

Genericamente, orientamos as pessoas que têm processos judiciais versando sobre o tema que não desistam de lutar jurídica e processualmente pelos mesmos enquanto não tiver uma decisão final sobre o caso.

Colocamo-nos à disposição para discutirmos o assunto e buscarmos alternativas, até mesmo enquanto aguardamos a publicação do tão imprescindível acórdão.

Mais informações poderão ser obtidas no Departamento Jurídico do Sindicato Rural de Uberlândia, que oferece consultas gratuitas aos seus associados.

Elaine Cristina Ribeiro Lima

  • Advogada e assessora jurídica do Sindicato Rural de Uberlândia

Resíduos orgânicos gerados pelas atividades de suinocultura, avicultura e bovinocultura

As atividades pecuárias normalmente desenvolvidas comercialmente nos empreendimentos rurais na nossa região são a suinocultura, a avicultura e a bovinocultura. Todas as atividades produtivas de animais confinados, como as citadas, geram resíduos. Dessas atividades listadas, a bovinocultura de corte extensiva é aquela

cujos resíduos produzidos pela atividade (fezes e urina), não representam risco de contaminação ambiental, pois são espalhados nas áreas de pastagens pelos próprios animais durante o pastejo. Todos os resíduos orgânicos gerados nestas atividades,

para serem aproveitados necessitam de tratamento adequado para diminuir os riscos de poluição, tanto do ar, do solo, como dos recursos hídricos. De acordo com a Deliberação Normativa 74/2004, dessa lista, a atividade de maior impacto ambiental é

a suinocultura. A atividade de suinocultura é considerada pelos órgãos ambientais como atividade de grande potencial poluidor, e um dos maiores problemas

no confinamento de suínos é a grande quantidade de dejetos produzidos diariamente. Os dejetos oriundos da atividade quando não tratados e lançados diretamente no solo e/ou mananciais de água, em grande quantidade podem causar desequilíbrios ambientais.

Os dejetos de suínos, bovinos e aves são uma boa fonte de fertilizantes e podem, quando bem manejados, constituir-se em alternativa econômica para a propriedade rural. O interesse no aproveitamento dos resíduos orgânicos gerados na suinocultura tem aumentado, não somente pelos aspectos de reciclagem de nutrientes no próprio meio e de saneamento, como também pelo aproveitamento energético do biogás em muitos casos. A digestão, ou fermentação,ou, ainda estabilização anaeróbia, objetiva, basicamente, à redução ao mínimo do poder poluente e dos riscos sanitários dos dejetos, resíduos, lixos, tendo, ao mesmo tempo, como subproduto deste processo o biogás, que pode ou não ser aproveitado e o biofertilizante com várias aplicações práticas na propriedade rural. Neste sentido, a utilização de nutrientes a partir do esterco de suínos após a fermentação, associada à técnica de cultivo, é mais uma alternativa para reduzir custos, além da prática do saneamento ambiental e da sustentabilidade da propriedade agrícola

Engº Agrº Adalto Franco | Departamento Técnico Agropecuário do Sindicato Rural de Uberlândia

 

Sindicato Rural recebe Senador Ronaldo Caiado e lideranças políticas para debater Funrural em Uberlândia

O Senador da República, Ronaldo Caiado, esteve em Uberlândia na sexta-feira, dia 12 de maio, a convite do Sindicato Rural de Uberlândia e do Deputado Estadual Luiz Humberto Carneiro, para apresentar aos produtores rurais convidados, associados do Sindicato Rural de Uberlândia e lideranças do setor do agronegócio, sua proposta sobre o Funrural. Participaram do encontro o ex-presidente da Assembleia de Minas, Dinis Pinheiro, o ex-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, o Deputado Federal Carlos Melles, presidente estadual do Democratas, o ex-secretário de Governo de Minas, Danilo de Castro e outro parlamentares.

O Senador Caiado afirmou que o projeto de sua autoria que deve levado ao plenário do Senado Federal busca a remissão da dívida dos últimos cinco anos. Ronaldo Caiado justificou a proposta lembrando que o setor produtivo primário tinha em todas as decisões dos Tribunais Regionais Federais, e no Supremo, a inconstitucionalidade da cobrança sobre essa fatura. “De repente, numa votação, quando o governo descobriu que tinha um volume significativo de depósitos judiciais, conseguiu um resultado que tenta repassar uma dívida que pode chegar a mais de R$ 22 bilhões em cinco anos”, afirmou. Caiado destacou ainda o caráter cumulativo da cobrança que, segundo ele, é feito em cascata obrigando o produtor a fazer o repasse a cada operação. “Isso é insustentável para o setor”, concluiu.

Na avaliação de Thiago Soares Fonseca, presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, a decisão do STJ contraria os interesses do setor, gera insegurança jurídica e poderá causar importantes reflexos financeiros para os produtores rurais caso seja confirmada como se apresentou.  “Nosso objetivo é esclarecer ao máximo nossos associados com relação a este assunto. Por isso convidamos o Senador Ronaldo Caiado para estar no Sindicato Rural esta semana. Por ser um político que sempre defendeu o produtor rural tendo como grande bandeira a agricultura e a pecuária dentro do Congresso Nacional, acreditamos que ele poderá colaborar para reverter essa situação”, disse.

Cerca de 200 produtores rurais, presidentes de sindicatos e lideranças políticas, lotaram o auditório. Durante a solenidade, a Câmara Municipal de Uberlândia prestou homenagem ao Senador Caiado, ao Deputado Estadual Luiz Humberto Carneiro e ao ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Dinis Pinheiro, com a entrega de Moção de Aplauso.

O Sindicato Rural de Uberlândia mantém um departamento jurídico que oferece consultas gratuitas para associados. Sempre que tiver dúvidas, o produtor associado pode entrar em contato com a instituição. O telefone de contato do Sindicato Rural é o 34 3292 8800.

Presidente do Sindicato Rural de Uberlândia recebe Comenda Virgílio Galassi

A Câmara Municipal de Uberlândia entrega na noite desta segunda-feira, 8 de maio, durante sessão solene a partir das 19 horas, a “Comenda Virgílio Galassi”,  uma homenagem em agradecimento a contribuição significativa de diversas entidades e personalidades escolhidas pelos vereadores no desenvolvimento da cidade de Uberlândia. O presidente do Sindicato Rural de Uberlândia, Thiago Soares Fonseca, é o homenageado do vereador Hélio Ferraz “Baiano”. No total serão 28 homenageados, sendo que o vereador Alexandre Nogueira apresentou um homenageado como vereador e outro como presidente da Câmara.

A solenidade de outorga da Ordem Municipal de Mérito no Grau Cooperador – Diploma de Mérito e Comenda “Virgílio Galassi” é um justo reconhecimento ao trabalho do prefeito de Uberlândia, que governou a cidade por 16 anos: 1971/ 1972; 1977/1982; 1989/1992 e 1997/2000.  Virgílio Galassi é muitas vezes referido como “Prefeito do Século”, tamanha sua notoriedade no crescimento de Uberlândia enquanto foi empresário, vereador, deputado federal e prefeito.

Presidente Thiago Soares Fonseca

Thiago Soares Fonseca, 38 anos, é administrador rural, foi eleito presidente do Sindicato Rural Uberlândia em 2012 e reeleito em 2014 e é também vice-presidente da Faemg – Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais.

Filho de Luís Eugênio Fonseca e Taís Abbott Soares Fonseca é casado com Fernanda Rodrigues Carvalho Fonseca com quem tem duas filhas – Maria Fernanda e Maria Paula.

Nascido em Uberlândia-MG, em 02 de agosto de 1978, atua no setor rural há mais de duas décadas, sendo proprietário e administrador da Fazenda São José, na qual desenvolve atividades no segmento da suinocultura, avicultura, pecuária de leite, pecuária de corte, agricultura e produção de feno.

Graduado em Administração de Empresas pelo Centro Universitário do Triângulo – UNITRI, Thiago Fonseca tem toda sua vida profissional dedicada ao agronegócio, sendo o defensor de uma política agrícola forte que dê condições ao empresário rural de se sustentar na atividade e ainda gerar emprego e renda.

Desde 2000, integra a diretoria do Sindicato Rural de Uberlândia. À frente desta importante entidade, conseguiu a implantação da Área de Segurança Pública Integrada – AISP Rural – que aumentou a segurança no campo; implantou e realizou seis edições da Femec – Feira do Agronegócio do Estado de Minas Gerais, que já se tornou uma das maiores feiras do país para comercialização de máquinas, equipamentos, implementos, insumos agrícolas, veículos utilitários e animais, além de conduzir uma série de conquistas que estão valorizando os produtores rurais de Uberlândia e região.